sábado, 3 de abril de 2010

Igualado recorde de 1979

Time gaúcho ganha do Votoraty por 3 a 0, no Olímpico, e conquista 14ª vitória seguida, o que não acontecia desde 1979

O Grêmio precisou de pouco suor para sacramentar sua classificação para as oitavas-de-final da Copa do Brasil. Após ter vencido o Votoraty, fora de casa, por 1 a 0, o time gaúcho não teve dificuldades para aplicar 3 a 0 no Estádio Olímpico, nesta quarta-feira. Agora, o técnico Silas irá enfrentar o seu ex-clube na próxima etapa da competição, o Avaí.

O mais importante da noite, contudo, foi o recorde de vitórias consecutivas que o Grêmio conseguiu igualar em sua história. Essa foi a 14ª vitória seguida dos gaúchos, igualando a melhor marca do clube, em 1979.


A vitória tricolor começou a ser desenhada no primeiro tempo, com gols de Jonas e Maylson. Na etapa final, o Grêmio aumentou sua invencibilidade de 51 jogos no Olímpico com um gol de cabeça de Rodrigo.

Agora, o Grêmio volta a pensar no Campeonato Gaúcho. Já classificado para a final, após ganhar o primeiro turno, o time enfrenta o Juventude, domingo, no fechamento da primeira fase do segundo turno.

Um time destemido entrou no gramado do Olímpico. Tinha sido assim na partida de ida. O Votoraty tentou fazer o seu jogo. O tapete verde que é o gramado do estádio Olímpico facilitou o toque de bola, muitas vezes arriscado da equipe paulista. Os espaços nas costa de Fábio Santos possibilitaram lances perigosos aos visitantes.

O Grêmio notou que precisaria aumentar o seu ritmo para não correr nenhum tipo de perigo, mas até entender isso, levou uma bola na trave de Sidnei. O meia deu dois cortes secos em defensores gremista para acertar o travessão de Victor, aos 12 minutos. No lance anterior o gremista William tinha cabeceado na trave de Alex.

O susto parece ter deixado o time de Silas ofendido, sem aceitar o assanhamento do Tigre do Concreto. Afinal, o Tricolor é um senhor respeitável em seus domínios. Como não queria fazer papel de bobo dentro de casa no 1º de abril, o Grêmio solucionou a questão em cinco minutos.

Primeiro Jonas, o aniversariante do dia, se deu de presente um gol, em que recebeu girando para tocar no canto esquerdo do goleiro, igualando a marca de Borges, com 11 gols no ano. Depois, foi a vez de Maylson marcar pela quarta partida consecutiva. Após escanteio da direita, William desviou para o meio campista tocar para a rede.

Estava tudo resolvido. O Grêmio começava a pensar no Avaí, adversário da próxima fase da Copa do Brasil. Era esperar o relógio girar, girar, até chegar o término da partida. Para não correr qualquer risco, Silas puxou Maylson pelo lado esquerdo, bloqueando a avenida pelo lado esquerdo defensivo. A medida vedou a passagem por ali.

Apesar de ter o meia Marciano, o Votoraty não joga um futebol de outro mundo, mas teve qualidade suficiente para controlar a partida nos 25 minutos finais. Um domínio estéril. Mesmo tendo a posse de bola, a equipe não tinha profundidade, facilitando o trabalho da defesa gaúcha.

O contexto do jogo fez o segundo tempo ser mero cumprimento de tabela. O Grêmio tinha o que queria. O Votoraty tinha uma atuação e um resultado dignos. Estava bom para ambas as partes.

Apesar dos 45 minutos finais se desenrolarem a ritmo de tartaruga, lances interessantes ocorreram. O torcedor presente no Olímpico demonstrou uma sinceridade infantil, ao comemorar uma lesão muscular do centroavante William. Porém, consciente de seu erro, aplaudiu o jogador quando substituído pelo jovem Bérgson.

Mesmo sem chutar a gol, o Grêmio quase ampliou a vantagem, aos 4 minutos. Ao recuar para o goleiro, João Paulo pegou mal na bola, tocou em direção ao gol e Alex precisou tapear, evitando o gol, mas cedendo um tiro livre indireto, não aproveitado.

No futuro, em partidas mais complexas, o Grêmio mostrou que não precisa jogar bem para ir às redes. Basta ter um escanteio a seu favor. Após cobrança do tiro de canto, Rodrigo cabeceou para ampliar, dando ponto final na noite no Olímpico.

Ficha de Grêmio 3x0 Votoraty

Grêmio
Victor; Edílson, Mário Fernandes, Rodrigo e Fábio Santos; Ferdinando, Adilson, Maylson (Hugo) e Douglas; Jonas (Mithyuê) e William (Bergson)
Técnico: Silas

Votoraty

Alex; Henrique, João Paulo e Anderson (Devas); Carlos Magno (Anderson Santos), Hélder, Sidnei, Neizinho, Marciano e Marco Aurélio (Alex Henrique); Paulo Kraus
Técnico: Fernando Diniz

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data: 1º de abril de 2010, quarta-feira
Renda: R$ 167.905,00
Público: 14.140
Árbitro: Devarly do Rosário (ES)
Assistentes: Adaílson Pereira e Vanderson Zanotti (ambos do ES)
Cartões amarelos: Jonas e Rodrigo (Grêmio); Marco Aurélio e Alex (Votoraty)

Gazeta Press

Nenhum comentário: