quarta-feira, 9 de abril de 2008

Grêmio x Atlético GO

Algumas atitudes e entrevistas evidenciaram na tarde quente de ontem a tensão que cerca o jogo entre Grêmio e Atlético-GO, hoje, às 21h45min, no Olímpico, pela Copa do Brasil. Pouco antes das 15h, ao descer de seu carro, o volante Eduardo Costa foi abordado por três torcedores, que conversavam com os seguranças no estacionamento. Em silêncio, o capitão do time ouviu deles a recomendação de que não se importasse com eventuais vaias das sociais. Só deveria levar em conta o apoio da torcida que irá ao estádio apoiar. Recado semelhante recebeu pouco depois o meia Roger.
O presidente Paulo Odone alterou a rotina de despachar à tarde em sua sala. Preocupado, desceu ao gramado e acompanhou à beira do gramado o último treino, realizado com portões fechados. Às 17h, Odone saiu pela porta do vestiário e deixou o Olímpico dirigindo seu próprio carro. Em exatos 33 minutos de entrevista coletiva, o técnico Celso Roth também emitiu sinais de nervosismo, na véspera do jogo que pode definir a sorte do time e a sua no semestre. Impaciente com três perguntas sobre o risco de demissão caso o Grêmio seja eliminado, disse que o assunto já havia se esgotado com a entrevista do presidente. Na véspera, Odone havia se reunido com Roth para garantir que não cederia às pressões para demiti-lo. Depois, entendeu que o repórter Eduardo Gabardo, da Rádio Gaúcha, havia sugerido interferência da direção no time. Reagiu com rispidez:
"É falta de educação perguntar isso. Gabardo esclareceu o conteúdo da pergunta. Roth encerrou o assunto.", Então está desculpado. Um novo momento de exasperação ocorreu ao ser questionado se achava as críticas exageradas.
"Já que estás insistindo nessa questão, vou te dizer: o treinador sempre é responsabilizado, é quem tem o poder de decisão", disse.
Respostas mais longas foram dadas ao ser indagado sobre os volantes. Ao comentar o melhor posicionamento para Eduardo Costa, Roth admitiu ter esquecido de dizer que ele só é segundo volante quando Nunes atua. Hoje, com a possível volta de Willian Magrão, Eduardo retornará para a frente da área.
"Eduardo Costa sempre foi primeiro volante. Posso falar dele porque o botei no time com 16 ou 17 anos no lugar de Astrada. Era chamado de burro por isso", lembrou. Quanto a Nunes, Roth disse que as críticas podem, por vezes, "destruir um jogador". Só no final da entrevista a descontração voltou ao ambiente. Ao se erguer de cadeira, na sala de conferências, estranhou o número de flashes disparados pelos fotógrafos. E comentou, com um leve sorriso:
"Eu gostaria de saber se vocês usam todas essas fotografias. Acho que é só "migué".

Grêmio
Marcelo Grohe; Paulo Sérgio, Leo, Jean e Hidalgo; Eduardo Costa, Willian Magrão, Rafael Carioca e Roger (Rudnei); Perea e Tadeu (Jonas).
Técnico: Celso Roth

Atlético GO
Márcio; Ari, Rafael, Jairo e Julinho; Pituca, Robston, Lindomar e Anaílson; André Leonel e Juninho.
Técnico: Zé Teodoro

Estádio: Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data: 09/04/2008
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP)
Auxiliares: Claudemir Maffessoni (SC) e Angelo Rudimar Bechi (SC)

Nenhum comentário: