sábado, 22 de dezembro de 2007

Resumo de 2007

O ano de 2007 começou prometendo muitas emoções para o torcedor gremista.
No primeiro semestre, além de defender o título do Gauchão, depois de quatro anos o Tricolor voltava a disputar a Taça Libertadores da América.
Gauchão
Em janeiro o Grêmio iniciou a disputa do Campeonato Gaúcho, primeira competição do ano e tão importante quanto as demais, uma vez que o Tricolor buscava o bi campeonato. O time comandado pelo técnico Mano Menezes encerrou a primeira fase do Gauchão, disputada em turno e returno, como líder da chave 1 e líder geral, com 40 pontos e uma campanha que contabilizou em 16 jogos, 13 vitórias, um empate e apenas duas derrotas.
Um aproveitamento de 83,3%. O melhor retrospecto nesta fase garantiu ao Tricolor jogar as partidas decisivas das finais no estádio Olímpico.
Na semifinal o adversário do Grêmio foi o Caxias. No primeiro jogo em Caxias do Sul, uma atuação atípica do time gremista e derrota por 3 a 0. Pelo regulamento da competição o Tricolor necessitava de uma vitória com o mesmo placar no Olímpico para levar a decisão às penalidades ou vitória por mais de três gols. No jogo de volta, com o apoio da torcida, a equipe gremista conseguiu superar o placar negativo da primeira partida e aplicou uma goleada de 4 a 0, gols de Patrício, Tcheco, Diego Souza e Tuta, no time caxiense, garantindo, assim, vaga na final da competição contra o Juventude.
O primeiro jogo da final aconteceu no estádio Alfredo Jaconi. Um empate emocionante em 3 a 3, com dois gols de Carlos Eduardo e um gol de empate de Tuta no minuto final da partida. Novamente a decisão ficou para o estádio Olímpico. No dia seis de maio, 47.676 torcedores vibraram com mais uma goleada: 4 a 1, gols de Lúcio, Tcheco (2) e Diego Souza, na equipe da serra e a taça do bi campeonato gaúcho nas mãos.
Libertadores
No dia 15 de fevereiro o Grêmio iniciava a caminhada na 11ª participação de Libertadores de sua história. O Tricolor integrou a chave 3 que contava com Cerro Porteño, Cúcuta e Tolima. Após seis jogos, encerrou a primeira fase em primeiro do grupo com 10 pontos.
A classificação foi garantida sobre vitória diante do Cerro Porteño por 1 a 0 no Olímpico, gol de Everton. O primeiro passo foi dado e o Tricolor agora tinha pela frente, nas oitavas-de-final, um confronto de brasileiros e tricolores, foi o adversário é o São Paulo.
Primeiro jogo no Morumbi, 1 a 0 para a equipe da casa. Novamente outra decisão reservada para o estádio Olímpico, que recebeu 46.650 torcedores. Uma vitória de 2 a 0 com a cara do Grêmio: com muita luta, raça e emoção.
O Defensor, do Uruguai, foi o próximo obstáculo gremista, nas quartas-de-final. Depois de uma derrota por 2 a 0 no jogo de ida, na casa do adversário, o Tricolor novamente se superou e deixou mais um pelo caminho. Vitória em tempo normal por 2 a 0 e nova vitória nas penalidades por 4 a 2.
Aos poucos o Grêmio chegava ao seu objetivo.
Nas semifinais mais um enfrentamento brasileiro, e novamente um adversário paulista: o Santos de Vanderlei Luxemburgo e Cia. Dessa vez, ao contrário dos outros jogos dessa fase decisiva, o Grêmio jogou a primeira partida em casa.
Uma vitória fantástica e que dava tranqüilidade para o jogo de volta, que teve fortes emoções como ingrediente.
Uma derrota de 3 a 1, mas que garantiu ao Grêmio vaga na final da Libertadores, o que não acontecia desde 1995.
A final contra o Boca Juniors da Argentina, mesmo com as duas derrotas, deixou como exemplo para quem quisesse a paixão de uma torcida pelo clube. Depois da derrota no primeiro jogo por 3 a 0, a torcida gremista foi tomada, quase que na sua totalidade, por uma euforia inexplicável para o jogo de volta, acreditando, até o último momento, na reversão de resultado.
Torcida nenhuma no mundo seria capaz de tamanha demonstração de amor.
Brasileirão
O Grêmio iniciou a disputa do campeonato brasileiro em meio aos jogos decisivos da Libertadores, atuando com times alternativos. E mesmo com o começo complicado na competição, o Tricolor conseguiu dar a volta por cima e aos poucos foi subindo na classificação, figurando, por muitas rodadas, na ponta de cima da tabela. Durante a competição o Grêmio perdeu jogadores importantes no grupo como Lucas, Carlos Eduardo e Lúcio, para o exterior.
Ainda assim, venceu os dois clássicos Gre-Nal do ano: no primeiro e segundo turno do brasileiro. O Grêmio encerrou o campeonato na 6ª colocação. Garantiu vaga na sul-americana, que será disputada no segundo semestre de 2008, além da Copa do Brasil, competição que o Tricolor vai buscar o penta campeonato.

Um comentário:

Wilson Hebert disse...

No geral o ano de 2007 para o Grêmio não foi péssimo, mas poderia ter sido bem melhor.

Andre, não deixe de dar a ultima passada no meu blog. Fiz uma homenagem a todos que já comentaram lá. Conto com a sua presença.

Um abraço..................