segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Depois de Ronaldinho e Anderson: Yuri

Depois do furacão Anderson, uma nova promessa de craque surge no Olímpico: Yuri. Aos 12 anos, o meia-atacante, apelidado de Mamute devido à fortaleza física, cumpre trajetória parecida com a do jogador do Manchester United. Assim como Anderson, ele veio do bairro Rubem Berta, teve a família acolhida pelo Grêmio para evitar o assédio de outros clubes e, ainda imberbe, já tem empresário.

A simples pronúncia do nome Yuri Almeida no Olímpico gera um misto de alegria e apreensão. Quem viu o guri em ação garante: ele é melhor do que Anderson. Daí o medo do Grêmio em perder a sua preciosidade. Ainda restam quatro anos para que o garoto possa assinar contrato profissional. Por enquanto, tem apenas ficha de amador — o que assegura uma indenização irrisória, caso o menino seja "roubado".

Há uma semana, Yuri levou o Grêmio ao título estadual da categoria. Em 14 jogos, marcou 33 gols (média de 2,3 por partida). Fez também os gols dos Gre-Nais finais, ambos vencidos pelo Grêmio por 1 a 0.
— Ele é diferente dos demais. Muito diferente. Tem potencial para ser melhor do que o Anderson — comentou com certa reserva o técnico da equipe sub-12 do Grêmio, Luiz Gabardo.

Yuri foi descoberto há dois anos, no então embrionário projeto Social Futebol Clube, da Secretaria Municipal de Esportes (SME). Começava a treinar no grupo comandado por Jurandir (ex-volante do Grêmio) e Osmar Lima (ex-jogador do Caxias). O potencial do meia foi visto nos primeiros jogos. Encaminhado para o Olímpico, passou no segundo treino.

Já com a camisa do Grêmio, Yuri despertou a cobiça do RS Futebol. Foi levado para treinar na Morada dos Quero-queros. Coube ao diretor executivo de futebol, Rodrigo Caetano, resgatá-lo. O episódio motivou o Grêmio a blindar o futuro craque.

O clube passou a pagar um salário de R$ 550 ao menino. Além disso, corrigiu a alimentação do garoto, alugou um apartamento perto do Olímpico para os Almeida na Cidade Baixa, empregou a mãe de Yuri, dona Valdirene, no clube e colocou os outros três irmãos (Robson, Robert e Natan) a jogar nas categorias de base.
— Minha mãe está feliz aqui. Quero ser profissional. Quero ser como o Cristiano Ronaldo — disse Yuri. — Somos gratos ao Grêmio.

Trabalho como servente no Olímpico e, agora, posso ficar o dia todo perto dos meninos contou Valdirene, que criou os quatro filhos sozinha.

Muitas vezes, é possível medir a qualidade de um jogador observando a reação dos adultos. E Yuri é um tema que causa mal-estar entre Jurandir e Osmar. O ex-volante do Grêmio ficou magoado quando Osmar apresentou Yuri a seu sócio, Guaraci Freitas, e ambos passaram a representar o jovem meia gremista.
— Não quero falar sobre o que aconteceu. Ele já é um jogador completo — afirmou Jurandir.
— Eu descobri o Yuri e levei-o para o Grêmio. É um menino promissor, que precisava de ajuda — desconversou Osmar.

2 comentários:

Diego Louzada disse...

FELIZ Natal, ANDRÈ
mensagem para vc e utros blogueiros em meu blog
grande abraço!

Independiente al rojo vivo disse...

Hola, está muy bueno tu Blog, muy buena información, es por eso que te enlazare si tu me enlazas a mi. Para enlazarme tienes que colocar el nombre de mi Blog en mayúscula.

INDEPENDIENTE AL ROJO VIVO
http://independientealrojovivo.blogspot.com

Saludos.