sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Sem Mano Menezes em 2008


Mano Menezes vive seus últimos dez dias como técnico do Grêmio. Ninguém no clube oficializa, mas ele deixará o Olímpico após a partida contra o Corinthians, no dia 2 de dezembro. A diretoria tricolor já foi informada sobre a decisão.

A reunião entre ele e o presidente Paulo Odone, marcada para a semana que vem, não terá qualquer efeito. O Grêmio terá um novo treinador em 2008. Após quase três anos, está encerrado o vitorioso ciclo que partiu da Segundona para chegar a uma final de Libertadores da América. Os dirigentes do Grêmio não gravam entrevistas confirmando a saída, mas o assunto já corre pelo Olímpico.

A notícia vazou com força na noite de quinta-feira, após a reunião do Conselho Deliberativo. O que pesa para a saída de Mano é a busca de novos objetivos. Ele não tem a confiança de que o Grêmio estará mais forte em 2008. A despedida de Mano não é surpresa. Há cerca de um mês e meio, ele condicionou sua permanência à conquista de uma vaga na Libertadores. Com a queda de produção do time, a classificação ficou distante.

E a permanência de Mano tornou-se inviável. Nesta sexta, em Natal, o treinador não quis falar sobre o assunto. Mas, pelo tom utilizado, sem a veemência de antes nas negativas, ficou ainda mais claro que ele está deixando o clube.

"Vou conversar com o presidente na semana que vem, e aí vamos oficializar a decisão" - diz.

O nome do momento para assumir a vaga de Mano Menezes é Geninho(foto), do Sport. Roberto Fernandes, do Náutico, foi descartado. Celso Roth, Tite e Paulo Autuori são alternativas. No dia 2 de dezembro, contra o Corinthians, o técnico Mano Menezes deve comandar pela última vez o time que ele tirou da Segundona para colocar em uma final de Libertadores. A permanência do treinador no Grêmio em 2008 é improvável. Ele deve buscar novos desafios, até porque o clube gaúcho tende a não ter um potencial de investimento forte na próxima temporada. Sem Mano, o Tricolor precisará buscar um novo comandante.

A diretoria garante que será um técnico de ponta. E já descarta o primeiro nome especulado: Roberto Fernandes, do Náutico.
"Não existe nenhuma possibilidade de ser o Roberto Fernandes. É zero. Se o Mano não ficar, vamos trazer um treinador de ponta, não um sem experiência, como o Roberto Fernandes" - afirma Paulo Pelaipe, diretor de futebol do clube gaúcho, em entrevista para a "Rádio Bandeirantes”.
No Olímpico, crescem alguns nomes, todos sem confirmação da diretoria. O mais forte é Geninho, do Sport. Celso Roth, desempregado, Paulo Autuori e Tite, no exterior, são outras possibilidades.
O último é bem visto pela torcida, mas tem rejeição de alguns dirigentes.

Nenhum comentário: