quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Diego Gavilán

De fora da equipe, o volante Gavilán pode ser uma opção para o banco de reservas na partida contra o Santos, às 18h10min de sábado, no Estádio Olímpico, em razão da suspensão de Hidalgo. O paraguaio disse, nesta quarta, que é hora de discutir sua permanência no Tricolor, pois sua situação é complicada. O clube tem quatro estrangeiros, três deles titulares - Bustos, Saja e Hidalgo.
– É lógico que a gente vai ter que conversar agora para poder ver qual seria a minha situação, se os três vão continuar, se ainda vão precisar do meu trabalho. Se a gente não está jogando, se a gente não está sendo relacionado muitas vezes é prejudicial para um atleta que tem eliminatórias e que tem como objetivo uma Copa do Mundo – destacou o atleta, que já tem disputou duas copas.
Apesar da insatisfação, Gavilán reiterou que segue seu trabalho como se nada tivesse mudado:
– Eu treino da maneira normal, como se fosse jogar. Se eu for relacionado, beleza, se não eu continuo o trabalho e seguramente esperando minha oportunidade da mesma maneira que eu fiz quando cheguei aqui. Não tenho nenhuma mágoa contra ninguém – declarou o paraguaio, que tem contrato com o Grêmio até o final do ano.
Contratado do Newell’s Old Boys em fevereiro, Gavilán teve boa atuação na Libertadores. Porém, o volante caiu de produção no Brasileiro e acabou perdendo lugar no time titular para Eduardo Costa, que chegou no Tricolor em julho.

Nenhum comentário: